Realizado pela empresa Chacur & Chacur Educação e Diversidade, o I Encontro Internacional TEA(Transtorno do Espectro Autista), ocorrido neste último final de semana, nos dias 25 e 26 de março, teve como objetivo promover palestras que trouxessem conhecimento, informações e técnicas específicas e atuais sobre o TEA. Pela primeira vez, a Baixada Santista reuniu um ciclo de oito palestras com abordagens de genética, estimulação, tratamentos e realidade do autismo no Brasil. A ação foi realizada no Auditório da Associação Paulista de Medicina (APM).

O encontro contou com sete palestrantes presentes, sendo eles: Dr. Francisco Assumpção (psiquiatra/USP), Dr. Wanderley Domingues (Neurologista/Centro Pró Autista SP), Dra. Giovana Escobal (UFSCAR/SP), Me. Claudia Nunes (AVM/RJ), Profa. Maria Paula Raphael (AVM/RJ), Profa. Luciana de Freitas (Olimpia/SP), Dra. Graciela Pignatari (TISMOO/SP) e um por videoconferência, de San Diego, na Califórnia, Dr. Alysson Muotri (biólogo molecular), brasileiro consagrado internacionalmente, um dos pioneiros em pesquisas genéticas e células tronco correlacionadas ao autismo. A Revista D+ é apoiadora do evento e também esteve presente no encontro.

Ana Paula Chacur com o palestrante Francisco B. Assumpção.

“Este é um evento muito importante para a cidade de Santos e toda a Baixada. Estamos recebendo profissionais da educação e da saúde, como médicos renomados. Isso é muito bacana”, afirma Ana Paula Chacur, idealizadora da Chacur & Chacur e também palestrante. Ela relata que a reunião dos especialistas naquela ocasião foi um benefício para a causa de informar sobre o TEA. “Geralmente, saímos da cidade para procurar esse tipo de informações e ouvir esses profissionais em outros municípios. Tivemos a honra de conseguir reuni-los e fazer esse evento em Santos, antecedendo o dia 2 de abril”, enfatiza, referindo-se ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo.

De acordo com Giovana Escobal, vice coordenadora do Instituto Lahmiei da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), o país precisa de mais eventos como esse, pois a sociedade precisa se preparar para lidar com a demanda de pessoas com autismo. “Está aumentando a cada ano. Hoje, nós temos uma pessoa com TEA a cada 48 nascimentos, que deverão ser recebidas cada vez mais nas escolas, clínicas e instituições. É preciso capacitação para lidar da melhor maneira possível com os autistas, bem como para auxiliá-los a enfrentar as barreiras a fim de serem incluídos”, revela Giovana.

Editora Wak fez venda de livros durante o evento.

Editora Wak fez venda de livros durante o evento.

Professora aposentada, Ana Lúcia Jorge, 52, é mãe de um autista que tem 19 anos. Presente para acompanhar as palestras, ela disse que, desde que percebeu que seu filho era diferente das outras crianças, buscou ajuda de diversos profissionais. Para orientar outros pais, ela criou um grupo de apoio. “Fundei o Acolhe Autismo Santos há cinco anos. Os pais ficam perdidos e os professores também. Nós damos orientações e complementamos esse vazio de informações com muito carinho. Esse evento é muito importante, pois é preciso informar. Para entender o autismo, é preciso conhecer a fundo”, finaliza a mãe.

 

Fonte: http://revistadmais.com.br/baixada-santista-recebe-o-i-encontro-internacional-tea/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu